Cadastre-se grátis
Receba novidades do officeguru: [x] Fechar
Nome
Email
Prefere as mídias sociais? Acompanhe o officeguru:

Calculando Financiamentos no Excel 2010

Postado em: 22/01/2014 Nenhum comentário

Neste artigo falaremos sobre a realização de cálculos de financiamentos no Excel 2010, para isso iremos construir uma planilha que servirá de modelo para cálculos posteriores de financiamentos em Sistema de Prestação Constante (SPC).

Financiamentos são mais comuns do que imaginamos em nosso dia a dia, já que a partir do momento em que realizamos uma compra, onde sua totalidade não seja paga logo de início, estaremos realizando um financiamento, onde normalmente conhecemos o valor que será financiado, o número de prestações e, quando existirem, as taxas de juros.

Em geral, o que fazemos ao financiar uma compra é pagar, mensalmente, uma parte do valor financiado, que também é chamado de amortização da dívida, e o restante se deve graças a existência de algum juro proveniente da taxa estabelecidas. No entanto, a maioria das pessoas não consegue separar bem, dentro do valor da prestação, qual seria a amortização e qual seria a parte referente aos juros.

Como esse cálculo não é tão simples de ser realizado a mão, mostraremos a partir do modelo a seguir como calcular a amortização e os juros de cada prestação de um financiamento em Sistema de Prestação Constante, mas antes, apresentaremos algumas informações necessárias para um melhor entendimento do assunto.

Planos de Financiamento e o Sistema de Prestação Constante

De acordo com o livro do professor Juan Carlos Lapponi, professor da Fundação Getúlio Vargas, na preparação de um plano de financiamento, existem duas regras que orientam e facilitam a construção de uma planilha do plano:

  1. Cada prestação se refere a um determinado período de tempo, por exemplo, um mês, um trimestre, um ano. E o valor de cada uma é a soma da amortização mais os juros do financiamento, sendo assim, P = A + J.
  2. O juro de cada prestação é calculado de acordo com o saldo devedor de financiamento no início do período a que se refere a prestação. Por exemplo, o juro da primeira prestação é calculado sobre o valor no início do financiamento, o da segunda é calculado sobre o valor do início menos o valor amortizado na primeira, e assim por diante.

Além destas duas regras, ao construir uma planilha de um plano de Financiamento, devemos sempre conhecer a estrutura deste plano. Isso significa conhecer se ele será construído com base em um sistema de prestação constante, amortização constante ou juro constante.

No caso da planilha que será construída neste artigo, trabalharemos com um financiamento em Sistema de Prestação Constante, onde durante todo financiamento o valor da prestação não muda, isso implica em maiores juros no começo e menores no final do financiamento.

Construindo a planilha no Excel 2010

Para construir a planilha de um plano de financiamento, utilizaremos das regras citadas acima e também faremos uso de uma tabela contendo cinco colunas. Estas cinco colunas conterão as informações referentes ao número da prestação, o saldo devedor, amortização de cada prestação, taxa de juros e o valor final da prestação. Além disso, utilizaremos as funções do Excel, “PGTO”, “PPGTO” e “IPGTO”, para encontrarmos o valor da prestação, a amortização de cada prestação e a taxa de juros.

Abaixo, apresentamos a planilha que será utilizada na construção do modelo. Notem que o valor financiado é de R$ 32.000,00 (trinta e dois mil reais) e que a taxa de juros é de 2% (dois porcento ao mês).

sistema de prestacao constante

Planilha que será utilizada para a construção do modelo.

Primeiramente, aplicaremos a função “PGTO” para encontrarmos o valor da primeira prestação, e consequentemente a das demais, já que o sistema é de prestação constante. Com isso, obtivemos a planilha que é apresentada na imagem a seguir.

prestacoes do financiamento

Valor das prestações em um financiamento com Sistema de Prestação Constante.

Como a taxa de juros é calculada com base no saldo devedor é mais interessante calcular a amortização de cada prestação primeiramente, sendo assim utilizaremos a função “PPGTO” e encontraremos o valor amortizado em cada prestação, veja na imagem abaixo como ficará a planilha

valor amortizado em cada prestação

Valor amortizado em cada prestação.

Vejam na imagem acima que após a obtenção do valor amortizado em cada prestação, estes valores obtidos foram subtraídos do valor inicial do investimento. Vale ressaltar que sempre que o valor do financiamento for zero na última prestação significa que o modelo utilizado está correto. Na imagem abaixo mostramos a planilha finalizada, já com o valor do juro calculado utilizando a função “IPGTO”.

calculando os juros do financiamento.

Juros relacionados a cada prestação do financiamento.

Na imagem acima, formatamos a fonte das células referentes ao cálculo do juro para vermelho apenas para facilitar a visualização de cada valor na imagem. Notem que os valores obtidos pela função “IPGTO” também poderiam ser obtidos subtraindo a amortização do valor da prestação.

Com isso, finalizamos este artigo sobre Plano de Financiamento em Sistema de Prestação Constante após a realização dos cálculos que fornecem os valores das prestações, das amortizações e dos juros, lembrando que no Curso de Excel 2010 Matemática Financeira Básica você poderá encontrar mais detalhes sobre esse assunto. Então, não deixe de conferir este e também nossos cursos gratuitos de Excel no portal Officeguru.

Até a próxima!

Sobre o autor:

Rafael Colucci Laércio Rafael Colucci Marques da Silva - Graduado em Física e mestre em Engenharia da Energia pela Universidade Federal de Itajubá. Professor de física e matemática, atuando com Excel e Estatística voltados para diversas áreas. De espírito aventureiro, pratica escalada e mountain bike sempre que possível.

Leia também

Comentários (0):